Funcionamento do motor de carro/automóvel
 

Funcionamento do motor do carro




Alguma vez você já abriu o capô do seu carro e perguntou o que estava acontecendo lá dentro?
Um motor de carro pode parecer um grande emaranhado confuso de metal, tubos e fios para os leigos. 
Você pode querer saber o que está acontecendo, simplesmente por curiosidade. Ou talvez você está comprando um carro novo, e você ouve coisas como "3,0 litros V-6" e "duplo comando no cabeçote" e "injeção eletrônica".
O que tudo de que isso significa?

Neste artigo, vamos discutir a idéia básica por trás de um motor e depois entrar em detalhes sobre como todas as peças se encaixam.

Motor de carro

O objetivo do motor de um carro a gasolina é converter a gasolina em movimento de modo que seu carro possa se mover. Atualmente, a maneira mais fácil de criar o movimento da gasolina é queimá-la dentro de um motor a gasolina. Portanto, um motor de carro é um motor de combustão interna - combustão que ocorre internamente. 

Duas coisas a observar:

_ Existem diferentes tipos de motores de combustão interna. Os motores diesel são um tipo e turbinas a gasolina são outro. Cada um tem suas próprias vantagens e desvantagens. 

_ O funcionamento é diferente de um motor de combustão externa. Um motor a vapor de trens antigos e barcos a vapor é o melhor exemplo de um motor de combustão externa.
O combustível (carvão, madeira, óleo ou outro) é queimado fora do motor para criar o vapor, e este gera movimento dentro do motor.
A combustão interna é muito mais eficiente (gasta menos combustível por quilômetro) do que a combustão externa, além de um motor de combustão interna é muito menor do que um motor equivalente de combustão externa.
Isso explica por que não vemos carros da Ford e GM usando motores a vapor.

Combustão Interna

O princípio por trás de qualquer motor de combustão interna: se você colocar uma pequena quantidade de combustível de alta energia (como a gasolina) em um espaço pequeno, fechado e acendê-lo, uma incrível quantidade de energia é liberada na forma de gás em expansão.
Você pode usar essa energia para impulsionar o que deseja. Neste caso, a energia é transformada em movimento.Se você pode criar um ciclo que permite determinar explosões como esta centenas de vezes por minuto, e se você pode aproveitar essa energia de forma útil, o que você tem é o núcleo de um motor de carro! 

Quase todos os carros atualmente usam o que é chamado de ciclo de combustão de quatro tempos para converter a gasolina em movimento.
A abordagem a quatro tempos é também conhecido como ciclo Otto, em homenagem ao Nikolaus Otto, que inventou em 1867.

Funcionamento do moto do carro
Ilustração: Iran Cartaxo

1-) O pistão começa no topo, a válvula de admissão abre e o pistão desce para deixar o motor ter um cilindro cheio de ar e gasolina.
Este é o curso de admissão. Somente uma pequena gota de gasolina precisa ser misturada ao ar para que isso funcione.

 2-) Em seguida, o pistão volta para comprimir a mistura ar / combustível. Compressão torna a explosão mais potente.

3-) Quando o pistão atinge o topo do seu curso, a vela emite uma faísca para inflamar a gasolina. A carga de gasolina explode no cilindro, empurrando o pistão para baixo.

 4-) Uma vez que o pistão atinge a parte inferior do seu curso, a válvula de escape se abre e os gases queimados deixam o cilindro para sair pelo escapamento.

Agora o motor está pronto para o próximo ciclo, por isso é necessário a ingestão de outra carga de ar e gás.
Observe que o movimento que vem de um motor de combustão interna é rotativo.
Em um motor o movimento linear dos pistões é convertido em movimento rotativo pelo virabrequim. O movimento de rotação é bom porque pretendemos virar (girar) as rodas do carro com ele de qualquer maneira.



 


Compartilhe este conteúdo com seus amigos é só clicar no botão